FMTAM participará de pesquisas nacionais sobre tuberculose - Dartanhã

Breaking News

test banner

Breaking

Home Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

3.7.10

FMTAM participará de pesquisas nacionais sobre tuberculose

Iniciativa das FAPs para o combate à tuberculose é pioneira no país (Foto: Divulgação)

01/07/2010 - O “Programa Temático Conjunto em Diagnóstico da Tuberculose” pode sair do papel ainda neste segundo semestre de 2010, isso porque os presidentes das Fundações de Amparo à Pesquisa dos estados do Amazonas (FAPEAM), do Rio de Janeiro (Faperj) e de Minas Gerais (Fapemig) reuniram-se na sede da FAPERJ, no último dia 23 de junho, para discutir o lançamento do programa.



O diretor-presidente da FAPEAM Odenildo Sena, que participou da reunião no Rio de Janeiro, afirmou que o projeto será apresentado no próximo dia 13 de julho. “Este é um grande projeto. Ele irá superar alguns gargalos. Uma vez que o Amazonas e o Rio de Janeiro têm os maiores índices de Tuberculose”. Ele destacou, ainda, que a reunião foi um sucesso. “Grande sucesso pelo número de pessoas e assuntos tratados”.

Segundo Sena, o programa conta com recursos financeiros de cerca de R$ 6 milhões divididos
entre as três FAPs, para impulsionar pesquisas no combate à tuberculose. “O programa terá duração inicial de três anos e serão desenvolvidas pesquisas envolvendo os três Estados”, destacou.

Sena disse que a questão central não passa mais pelo convencimento dos dirigentes sobre a necessidade da iniciativa. “Disso já estamos convencidos”, declarou. “O que queremos é a racionalização dos recursos, a fim de evitar que a ideia original se transforme em dezenas de projetos que acabariam deixando de lado o propósito inicial de dotar o País de uma infraestrutura capaz de avançar no combate à doença”, disse, destacando ainda que aproveitou a ocasião para criticar o isolamento em que vivem certos pesquisadores. “O que têm atrasado a pesquisa em nosso País são os nichos de pesquisadores, cada um no seu ‘botequinho’. É nosso dever estimular o intercâmbio e a colaboração entre estes cientistas”, defendeu.

O presidente da Fapemig, Mário Borges Neto, fez eco à avaliação de Sena sobre o emprego dos recursos. “Não podemos transformar essa ideia numa colcha de retalhos, mas priorizar os investimentos em áreas que possam trazer resultados concretos na política de enfrentamento da doença”, disse.

Já para o presidente da Faperj, Ruy Marques, a dificuldade é separar aquilo que pode ser financiado daquilo que já recebe apoio por meio dos editais e programas de auxílio básico das fundações. “Precisamos ter certeza de que esses novos investimentos representarão um verdadeiro avanço nas pesquisas relacionadas com a tuberculose no País, sejam eles em infraestrutura, equipamentos ou até mesmo para identificar os gargalos que hoje impedem a sua erradicação”, disse.

Participaram do encontro o presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Luís Manuel Fernandes, o secretário Executivo do Ministério da Ciência e Tecnologia, Luiz Antônio Rodrigues Elias, o diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Espírito Santo (Fapes), Aureliano Nogueira da Costa, além de representantes da comunidade científica dos três estados.

Implantação na FMTAM


No Amazonas, o projeto deve ser implantado na Fundação de Medicina Tropical do Amazonas (FMTAM), localizada na Avenida Pedro Teixeira, no bairro Dom Pedro. Segundo o diretor da FMTAM, Sinésio Talhari, a inciativa é pioneira e será de extrema importância para a implantação de centros voltados para a investigação de novas drogas, em condições adequadas de pesquisa.



“Esta iniciativa possibilitará a capacitação de recursos humanos e aquisição de equipamentos de ponta, equiparando-nos aos maiores centros mundiais para a investigação e aplicação de novas tecnologias que certamente influenciarão no controle da tuberculose a médio e longo prazo, mudando o atual cenário”, comentou.

Sobre a Tuberculose

A Tuberculose é uma doença grave, transmitida pelo ar, que atinge laringe, os ossos e as articulações, a pele (Lúpus Vulgar), os glândios (Escrófulo), os intestinos, os rins e o sistema nervoso. O microorganismo causador da doença é o bacilo de Koch, cientificamente chamado Mycobacterium tuberculosis.

Segundo dados do Ministério da Saúde (MS), referentes ao ano de 2007, o Estado do Amazonas, figurou como o segundo no ranking de casos de Tuberculose apresentados no país. De cada 100 mil habitantes do Estado, 67 têm tuberculose. Em primeiro lugar ficou o estado do Rio de Janeiro com 73 diagnósticos para cada 100 mil pessoas.


Foto 1 - Reunião no Rio de Janeiro (Carolline Sena)
Foto 1 - Sinésio Talhari, diretor da FMTAM (Ricardo Oliveira)

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here

Páginas