Header Ads

Mais Saúde é apresentado a organismos internacionais nos EUA

Fonte: Ministério da Saúde
30/08/2010

OMS e OPAS querem conhecer o programa e compartilhá-lo com outros países

A secretária-executiva do Ministério da Saúde, Márcia Bassit, apresenta, nesta segunda-feira (30), em Washington (EUA), o programa Mais Saúde a representantes da Organização Mundial de Saúde (OMS) e da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS). O convite foi feito pelos dois organismos internacionais, interessados em conhecer e compartilhar a experiência brasileira com outros países.

O Mais Saúde foi lançado em 2007 pelo ministro José Gomes Temporão, reunindo 208 ações para ampliar o acesso aos serviços do SUS (Sistema Único de Saúde) e melhorar sua qualidade. O programa busca resultados positivos dos investimentos públicos em saúde mediante uma gestão eficiente e ações que impactam positivamente na qualidade do atendimento à população. Além disso, incorpora o entendimento de que a política social faz parte do desenvolvimento econômico do País, com crescimento, bem-estar e melhoria das condições de vida da população.

No convite que fizeram ao Ministério da Saúde, os representantes da OMS e da OPAS manifestaram interesse no Mais Saúde em função da integralidade de seu conjunto de ações, que envolvem prevenção, promoção da saúde e o tratamento.

Segundo a secretária executiva, as ações do Mais Saúde já nasceram alinhadas com as diretrizes da OPAS e da OMS. “Trabalhamos para que a cooperação técnica tivesse prioridade na nossa gestão”, explicou. A parceria com os organismos internacionais, segundo ela, é importante para o SUS continuar avançando na universalização da assistência à população, reforçando a atenção básica e o desenvolvimento de tecnologia nacional para reduzir o déficit comercial do complexo de saúde.

Reconhecimento internacional– Na semana passada, a secretária apresentou o Mais Saúde na VI Conferência da Rede de Monitoramento e Avaliação na América Latina e Caribe, ocorrida no México. Na ocasião, o Mais Saúde foi apresentado como um dos 12 melhores programas de monitoramento de políticas públicas do mundo, segundo classificação do BIRD (Banco Mundial) e do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). Ao todo, foram avaliados 200 trabalhos de diversos países.

“Desenvolvemos um novo modelo de gestão para o Ministério da Saúde, e, com base nas principais metodologias, fizemos o mapeamento de processo, alinhamento de estrutura, revisão de competências”, explica Bassit.

O sistema de controle das ações do Mais Saúde faz parte do modelo de gestão por resultados, implantado pelo ministro José Gomes Temporão. A partir da definição das metas e ações prioritárias, o Ministério da Saúde instituiu um modelo de verificação para assegurar o melhor resultado do programa. Márcia Bassit ressalta que “não adianta ter um bom planejamento estratégico” se não houver acompanhamento”.
Inovação- O Programa Mais Saúde tem foco na qualificação da gestão na área da Saúde, com definição metas e prazos definidos. São 208 ações para o período de 2008 a 2011, com recursos federais da ordem de R$ 86 bilhões.

Entre suas metas, está a de levar as unidades do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU/192) para toda a população brasileira até 2011. Outro objetivo é a liberação, pelo Ministério da Saúde, de recursos para a implantação de 500 unidades de pronto-atendimento (UPAs). O programa também prioriza a integração dos serviços de atenção básica às UPAs e ao SAMU, como forma de organizar a rede assistencial do SUS.
Tecnologia do Blogger.