23.8.10

Pesquisa reúne registros etnográficos dos Kulina

Da FAPEAM

Índios Kulina, habitantes da bacia do rio Purus (Foto: Divulgação)

23/08/2010 - Assim como diversos povos espalhados pela floresta amazônica, os Kulina - que pertencem à família Arawá - vivem entre as bacias dos rios Purus e Juruá, no Estado do Amazonas. Para entender melhor a origem e evolução desse povo, um estudo realizado pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam) buscou contar a história do povo indígena Kulina, destacando seus registros e etnografias.

A pesquisa foi realizada pela estudante do curso de Ciências Sociais Liliane Souza de Souza, e foi um dos trabalhos apresentados durante o XIX Congresso de Iniciação Científica da Ufam, que aconteceu entre os dias 16 e 20 de agosto, em Manaus.

Com o título “A presença Kulina no Sudoeste Amazônico: registros e etnografias”, a pesquisa foi realizada no período de agosto de 2009 a agosto de 2010 e contou com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) por meio do Programa de Apoio à Iniciação Científica do Amazonas, que consiste em apoiar, com recursos financeiros e bolsas institucionais, estudantes de graduação interessados no desenvolvimento de pesquisa em instituições públicas e privadas do Amazonas.

Resultados

De acordo com a estudante Liliane Souza, a pesquisa buscou refletir sobre o processo migratório, para entender a repercussão desse processo na história e na organização socioespacial do povo Kulina atual.

“O nosso objetivo foi identificar a mobilidade do povo Kulina a partir da produção etnográfica e de 21 microfilmes do Serviço de Proteção aos Índios (SPI)”, revelou.

Segundo ela, a pesquisa, que contou com a orientação do professor doutor Carlos Machado Dias Júnior, identificou que, durante o processo de mobilidade, ocorreram grandes agentes estimuladores.

“Um deles foi o próprio SPI, que teve o objetivo de atrair os índios para certas zonas produtivas fomentando neles uma vida sedentária fundada nas atividades agrícolas. O outro foi a figura dos seringalistas, que expropriavam os índios de suas terras caso elas se apresentassem férteis e produtivas ao Sistema de Aviamento”, revelou.

De acordo com Souza, num primeiro momento a mobilidade Kulina teve uma natureza exógena, ou seja, foi provocada por ações externas, o que ocasionou a atual ocupação de terras Kulina nos rios Purus e Juruá, nos Estados do Acre e Amazonas e no país vizinho Peru.

"Percebemos, também, a partir das bibliografias, que os Kulina passaram a migrar por motivos endógenos, por exemplo, a viagem dos xamãs do Alto Purus quando vão realizar rituais de Kulina nas aldeias do Juruá, quando nestas, não há a presença de xamãs”, revelou.

Foco Histórico

De acordo com a estudante, para a realização do estudo foram feitas pesquisas bibliográficas em teses, dissertações, relatórios e investigações em arquivos do Serviço de Proteção aos Índios (SPI) e do Instituto Histórico e Geográfico do Amazonas (IGHA) e, a partir daí, foram realizadas transcrições, análise e sistematização dos dados coletados.

“Por ser uma pesquisa com um foco histórico, este foi o método mais viável, mas a escolha pelos microfilmes do SPI se deu pelo fato de que o material representa um arquivo riquíssimo e que, até então, era um arquivo inexplorado”, justificou.

Congresso de Iniciação Científica

As atividades do XIX Congresso de Iniciação Científica (Conic) foram encerradas sexta-feira, 20/08, na Ufam. O evento reuniu a comunidade universitária, jovens pesquisadores e seus orientadores e o grande público para a divulgação dos trabalhos de iniciação científica realizados no período de 2009 a 2010.

O programa é financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM). Durante o evento foram realizadas sessões de avaliação oral final, nas áreas de Saúde, Biológicas, Exatas, Humanas, Sociais Aplicadas e Agrárias.

Foto 1 - O povo Kulina vive no sudoeste do Estado do Amazonas (Arquivos da MNTB)

Share this