Header Ads

Guia para o Cuidador Domiciliar de Pessoas que Vivem com HIV/Aids

APRESENTAÇÃO

A assistência integral às pessoas vivendo com HIV/aids, o respeito aos seus direitos
e a sua dignidade, ao lado das ações de prevenção e do amplo acesso ao tratamento,
têm sido os principais motivos do prolongamento da expectativa e da qualidade de
vida das pessoas infectadas.

Contudo, mesmo com os avanços tecnológicos da medicina, nem sempre é
possível devolver a essas pessoas um nível de qualidade de vida próximo ao que
tinham antes da infecção. Em alguns casos, as pessoas podem apresentar condições
clínicas adversas, um prognóstico sombrio, marcado por limitações e as mais diversas
incapacidades, exigindo cuidados prolongados.

Para garantir a promoção do cuidado integral permanente às pessoas vivendo
com HIV/aids, familiares, amigos e cuidadores institucionalizados têm assumido
responsabilidades que, até pouco tempo, eram encargo exclusivo dos profissionais
de saúde, transformando-se em referências importantes para a equipe de saúde.

Os profissionais de saúde contam com o apoio dos familiares não somente para
acompanhar e dar ânimo à pessoa que necessita de cuidados especiais, mas também
para ministrar medicamentos, ajudar a observar as manifestações biopsíquicas,
os efeitos relacionados com as medicações e informar problemas que requeiram
intervenção especializada.

A promoção desses cuidados, principalmente se é feito fora dos serviços de saúde,
requer que tanto os profissionais de saúde e, especialmente os cuidadores, que não
têm essa formação, apropriem-se de certos conhecimentos de cuidados em saúde,
para garantir a realização dos procedimentos adequados.

Buscando proporcionar uma atenção integral às pessoas infectadas pelo HIV
que necessitam de cuidados especiais, o Departamento de DST, Aids e Hepatites
Virais apresenta este Manual que tem como objetivo esclarecer, de modo simples
e ilustrativo, as situações mais comuns com as quais se deparam os cuidadores
domiciliares de pessoas que necessitam de atenção especial.

Os temas aqui apresentados são informações adicionais às orientações da equipe
de saúde, e não exclui a necessidade do paciente, familiares e cuidadores continuarem
com o atendimento e tratamento do serviço de saúde, ao qual está vinculado.

Essas orientações também são úteis para as próprias pessoas que estão recebendo
os cuidados, pois, tendo conhecimento de como os procedimentos devem ser
realizados, podem colaborar em seu tratamento e torná-lo menos estressante, para
si próprios e para os cuidadores.
  


Download
Tecnologia do Blogger.