Prefeitura promove capacitação voltada ao controle da tuberculose


A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) encerra nesta quinta-feira (16) capacitação voltada ao controle da tuberculose, com foco no atendimento em domicílio, estratégia adotada em projeto piloto que visa a redução do abandono do tratamento. A capacitação, direcionada aos profissionais de nível superior do Distrito de Saúde (Disa) Oeste, está sendo promovida pela Prefeitura de Manaus, em parceria com a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). O projeto piloto foi inicialmente implantado no Disa Oeste, para depois ser expandido para as demais zonas da cidade, de acordo com o secretário municipal de Saúde, Francisco Deodato.

A capacitação faz parte do projeto de Fortalecimento do Programa de Controle da Tuberculose da rede municipal. A oficina acontece das 8h às 12h, no hotel Slass, localizado na avenida Boulevard Álvaro Maia, 1442, Praça 14.

Por meio do projeto, a Semsa já capacitou aproximadamente 500 profissionais de saúde que atuam na Atenção Básica do Disa Oeste, entre técnicos e auxiliares de enfermagem, agentes comunitários de saúde e profissionais de nível superior (médicos, enfermeiros e assistentes sociais). A capacitação iniciou em março deste ano.

O projeto é financiado pela USAID e pela Opas, com o objetivo de melhorar a capacidade de diagnóstico da tuberculose na rede básica de saúde, ampliar a participação da Estratégia de Saúde da Família, envolver os gerentes e os profissionais das unidades de saúde nas ações de controle da doença, a fim de que se possa implantar a Estratégia de Tratamento Supervisionado da Tuberculose (DOTS) na sua íntegra.

Para a enfermeira da Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) O-02, Tereza Neuman, a capacitação vai permitir melhorar a implementação da Estratégia DOTS. “O curso apresentou um novo olhar que o profissional de saúde deve ter em relação à doença, além dos estudos de caso, muito importantes para sabermos como agir em determinadas situações”, afirma a enfermeira.

Parceria

Iniciado em novembro de 2009, o projeto terá uma segunda fase para dar continuidade à execução das ações, explica a responsável técnica pelas Ações de Controle da Tuberculose do Distrito de Saúde Oeste, Jucilene Balduino.

O Distrito de Saúde Oeste foi escolhido para o desenvolvimento do projeto piloto em Manaus por apresentar um avanço no processo de integração das ações de vigilância e assistência da tuberculose e do monitoramento da Estratégia de Saúde da Família.

A Usaid e a Opas financiam projetos que apóiam as ações de controle da tuberculose no Brasil. Além de Manaus, as regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo também recebem recursos para o combate da doença.

Problema Mundial

Há uma década, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a tuberculose em estado de emergência no mundo, onde ainda é a maior causa de morte por doença infecciosa em adultos. Segundo estimativas da OMS, 2 bilhões de pessoas, correspondendo a um terço da população mundial, está infectada pelo Mycobacterium tuberculosis. Destes, 8 milhões desenvolverão a doença e 2 milhões morrerão a cada ano.

A tuberculose, doença com profundas raízes sociais, está intimamente ligada à pobreza e a má distribuição de renda, além do estigma que implica na não adesão dos portadores e/ou familiares/contactantes. O surgimento da epidemia de AIDS e o aparecimento de focos de tuberculose multirresistente agravam ainda mais o problema da doença no mundo.

Tecnologia do Blogger.