Breaking News

Amazonas avança em pesquisas sobre hepatite com apoio da FAPEAM


Teste rápido para exame de hepatite (Foto: Divulgação)

07/10/10 - O Amazonas está se tornando referência em estudos voltados para identificação e tratamento de hepatite (inflamação no fígado). Isso será possível por meio das ações desenvolvidas pela Liga de Estudos sobre Hepatite, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Idealizado pela médica e doutora em gastroenterologia e hepatologia pela Escola Paulista de Medicina, Cristina Rocha Melo, o laboratório está em pleno funcionamento e hoje conta com ações desenvolvidas por alunos, médicos residentes do Hospital Adriano Jorge e da professora da UEA Daniele Nahmias.

O laboratório da Liga de Estudos foi financiado pelo Programa de Infraestrutura para Jovens Pesquisadores - Programa Primeiros Projetos (PPP) da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM).

Atividades

De acordo com Melo, os alunos participantes das atividades realizam estudos que são submetidos a congressos de Medicina. Um exemplo é a pesquisa sobre a prevalência da hepatite C em manicures na cidade de Manaus, já concluída pelo grupo.

Melo explicou que a incidência de hepatite C foi considerada abaixo do esperado, após ter sido feito um levantamento em todas as zonas da cidade. “Fomos aos salões de beleza e fizemos aquele teste rápido na ponta do dedo. Não detectamos nenhum caso de hepatite C. Este trabalho será submetido à Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, que acontece em novembro”, enfatizou Melo.

Segundo a médica, o hábito comum entre os brasileiros de não exigir cuidados às manicures em salões de beleza tem sido apontado como fator de risco para a aquisição de infecções causadas pelo vírus da hepatite C (HCV). Foram incluídos no estudo dados coletados com 150 manicures, de 35 salões de beleza distribuídos nas cinco zonas demográficas da capital, entre agosto de 2009 e junho de 2010. A amostra foi estimada a partir dos 75 salões cadastrados na Prefeitura Municipal de Manaus.

Apesar de o estudo não ter encontrado casos da doença entre as manicures, a pesquisa apontou que a maioria dos profissionais desconhece as formas de transmissão da hepatite C e não tem os cuidados adequados de higiene no manuseio dos instrumentos, podendo causar a transmissão de outras doenças bacterianas.

A pesquisadora enfatizou sobre a importância do apoio financeiro da FAPEAM, no valor de R$ 20 mil, a partir do qual foi possível estabelecer, no local, a soroteca, montada dentro do Laboratório de Microbiologia da UEA, onde ficam armazenados os soros de pacientes para estudos futuros.

Casos detectados

Outro estudo dos alunos da Liga discorre sobre a prevalência de hepatites virais em pacientes com tuberculose, oriundos da Policlínica Cardoso Fontes. Conforme a pesquisadora, as sorologias (exames no sangue) foram realizadas em 55 pacientes. Destes, 7,2% apresentaram sorologia para hepatite C positiva e 3,6% têm HB positivo, indicando infecção ativa pelo vírus da hepatite B, sendo considerados resultados elevados e preocupantes.

Os idosos de Manaus também foram alvos de pesquisa da Liga de Estudos sobre Hepatite da UEA. Segundo dados repassados por Melo, ano passado, no Congresso Brasileiro de Hepatologia, foi apresentada uma pesquisa na qual 397 idosos, frequentadores do Parque Municipal do Idoso, em Manaus, participaram de forma voluntária e aleatória de um estudo. Os resultados apontaram que a prevalência da sorologia anti-HCV positiva na população idosa ativa foi 1,5% superior à encontrada em doadores de banco de sangue que era de 0,32%, segundo dados do Hemoam.

Sobre a doença

Existem várias razões para o fígado estar inflamado, e nem sempre a causa é viral. Certas drogas ou medicações tóxicas e doenças imunológicas podem causar hepatite. A causa mais comum de inflamação do fígado é a hepatite viral. Quando o processo inflamatório está presente por mais de seis meses é chamado de hepatite crônica.

Os sintomas produzidos pela hepatite viral podem variar dependendo se a hepatite é crônica ou aguda. Muitos casos de hepatite podem ser tão leves e inespecíficos que podem ser confundidos com uma simples infecção viral. A hepatite aguda causa menos danos ao fígado que a hepatite crônica.

Fadiga intensa, olhos amarelados, pele amarelada, febre baixa e urina escura são alguns dos sintomas de hepatite aguda. Já na crônica, os sintomas mais comuns são, além da fadiga, dores nas articulações, vermelhidões na pele e perda de memória.

Programas da FAPEAM envolvidos

PPP

O Programa de Infraestrutura para Jovens Pesquisadores - Programa Primeiros Projetos (PPP), desenvolvido em parceria com o CNPq, consiste em apoiar a aquisição, instalação, modernização, ampliação ou recuperação da infraestrutura de pesquisa científica e tecnológica nas instituições públicas e particulares, sem fins lucrativos, de ensino superior e/ou de pesquisa sediadas ou com unidades permanentes no Estado de Amazonas, visando dar suporte à fixação de jovens pesquisadores e nucleação de novos grupos, em quaisquer áreas do conhecimento.

PPSUS

O Programa de Pesquisa para o SUS: gestão compartilhada em saúde (PPSUS), desenvolvido em parceria com o Ministério da Saúde e CNPq, consiste em apoiar, com recursos financeiros, projetos de pesquisa que visem a promoção do desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação na área de saúde no Estado do Amazonas.

Alessandra Leite – Agência FAPEAM