11.11.10

Cólera já matou 800 no Haiti; especialista teme pelos EUA

Extraido de : Reuters quinta-feira, 11 de novembro de 2010

PORTO PRÍNCIPE (Reuters) - O número de mortos pela epidemia de cólera no Haiti chegou a 800 na quinta-feira, segundo um especialista norte-americano que alertou para o risco de que a doença se espalhe para os Estados Unidos e outros países.

O surto começou há três semanas no interior do Haiti, país que ainda se recupera do devastador terremoto de 12 de janeiro.

Ezra Barzilay, epidemiologista do Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos EUA, disse que a epidemia está se agravando. "Até 8 de novembro, tínhamos cerca de 640 mortes. Hoje chegamos a 800", disse ele por telefone, do Haiti, a participantes de uma conferência médica no Mississippi.

"A situação aqui está mais sombria a cada dia. Os haitianos estão na fila (por tratamento). Os leitos hospitalares acabaram. Os hospitais estão completamente lotados", disse ele, acrescentando que os profissionais da saúde estão sendo obrigados a escolher quais pacientes atenderem.

O Ministério da Saúde do Haiti disse que até terça-feira, dia 9, havia 11.125 pessoas hospitalizadas com casos confirmados de cólera, e que 724 pacientes haviam morrido. Dez mortes aconteceram em Porto Príncipe, a capital, onde milhares de desabrigados do terremoto vivem amontoados em precários acampamentos.

Na declaração à conferência médica, Barzilay afirmou que as autoridades sanitárias dos EUA estão preocupadas com a possibilidade de que o cólera se espalhe para países vizinhos, inclusive os EUA, que ficam a apenas duas horas de voo.

Em seu site, o Departamento de Saúde da Flórida alertou que as viagens de e para o Haiti se intensificaram desde o terremoto de janeiro, graças ao fluxo de equipes humanitárias e de moradores haitianos da Flórida que foram visitar seus parentes.

"O cólera não se espalha tão facilmente em países desenvolvidos como os EUA, mas queremos assegurar que não deixaremos situações de alto risco passarem despercebidas, como o cólera em alguém que manipule alimentos, ou focos isolados", disse o departamento.

A Flórida concentra cerca de 46 por cento da população de origem haitiana nos EUA, um total de 241 mil indivíduos.

O cólera é uma doença transmitida por contaminação da água e alimentos. Especialistas acreditam que a epidemia se agravou devido a inundações causadas pelo furacão Tomas, neste mês.

Apesar do terremoto, da epidemia e do furacão, as autoridades haitianas decidiram manter as eleições presidenciais e legislativas de 28 de novembro no país.

(Reportagem de Joseph Guyler Delva em Porto Príncipe e Leigh Coleman em Biloxi)

Share this