Masturbação, carne de porco… Ou tuberculose? - Dartanhã

Breaking News

test banner

Breaking

Home Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

15.11.10

Masturbação, carne de porco… Ou tuberculose?

Por Décio – um Aprendiz de Cristão.


Com intenção de advertir os Adventistas da época, Ellen G. White publicou em 1864 conselhos relacionado à masturbação num folheto sob o título An Appeal to Mothers: The Great Cause of the Physical, Mental, and Moral Ruin of Children of Our Time ( tradução: Um Apelo às Mães: A Grande Causa da Ruína Física, Mental e Moral de Nossa Época).

“A condição do mundo é alarmante. Por toda parte que olhemos vemos imbecilidade, nanismo, membros aleijados, cabeças mal formadas e deformidade de toda descrição. . . . Hábitos corrompidos estão dissipando sua energia, e trazendo-lhes enfermidades repugnantes e complicadas. . . As crianças que praticam a auto-indulgência [masturbação] . . . devem pagar a penalidade (pág. 14).Prosseguindo a prática desde os 15 anos ou mais, a natureza protestará. . . e fa-los-á pagar elevado preço. . . por numerosas dores no organismo, e várias doenças, tais como indisposição de fígado e pulmões, nevralgias, reumatismo, problemas da espinha, doenças renais e tumores cancerosos. . . Com freqüência ocorre uma súbita avaria da constituição, e a morte vem como resultado (págs. 14 e 15). …O resultado do auto-abuso nelas(mulheres) é visto em várias doenças, tais como catarro, tontura, dor de cabeça, perda de memória e visão, grande fraqueza nas costas e cadeiras, dores na espinha e, com freqüência, queda da cabeça para trás. . . Estas são práticas tão suicidas quanto apontar uma pistola para o próprio peito. . . . “Não há fim em vista para as doenças causadas pelo vício solitário”.

A esta asserção é adicionada uma enorme lista de enfermidades supostamente assim surgidas, entre as quais “epilepsia, danos à visão”, “hemorragia nos pulmões, espasmos do coração e pulmões, diabetes, reumatismo, tuberculose, asma” e mais de uma dúzia de outras. Daí é passado em revista um caso. Uma criança de dois anos de idade, epiléptica e paralítica, foi levada a um médico. “Pelo mais vigilante emprego de meios mecânicos para confinar-lhe as mãos, cobrindo-lhe os órgãos genitais, etc., a criança foi, por fim, curada e agora desfruta de boa saúde”. (texto resumido. fonte: Wikipédia enciclopédia).

Estes relatos de (Appeal to Mothers – Um apelo às mães), são uns escritos que muitos adventistas gostariam que ela jamais tivesse escrito, e muitos líderes querem esconder, abafar, colocá-los no esquecimento. Existem outros trechos de Appeal to Mothers , citados em outros livros da sra White, mas o curioso, é que especialmente os relatos acima, simplesmente não estão publicados. Eu não encontrei. (Ora, não são “inspirados por Deus” ?). Também, pudera, as declarações são absurdas sem qualquer fundamento sólido científico comprovado. Quem já viu a masturbação causar nanismo (ser anão), cabeça deformada, membros aleijados, e outras enfermidades citadas? E uma criança de 02 anos sendo curada de epilepsias e paralisia por ser impedida de “se masturbar”? É realmente incrível.

Com intenção deserperada de socorrer a “mensageira celestial”, o argumento que conheço até hoje, o qual os líderes adventistas apresentaram, foi o argumento da perda e falta de zinco. Eis a declaração do Centrowhite, o centro de pesquisas – Ellen White:

-Dois médicos especialistas sugeriram uma ligação entre a masturbação e anormalidades físicas devido à deficiência de zinco. O Dr. David Horrobin, M.D. e Ph.D. pela Universidade de Oxford, declarou:

“A quantidade de zinco no sêmen é tanta que é possível uma ejaculação eliminar todo o zinco que pode ser absorvido pelos intestinos em um dia. Isto tem diversas conseqüências. A menos que a quantidade perdida seja substituída com uma dieta reforçada, as repetidas ejaculações podem levar a uma deficiência real de zinco e vários problemas podem ocorrer, inclusive a impotência”.

“É até possível, dada a importância do zinco para o cérebro, que os moralistas do século dezenove estivessem corretos quando diziam que a masturbação repetida poderia deixar alguém louco!”

-Uma pesquisa mais recente confirmou o papel fundamental do zinco como principal protetor do sistema imunológico, com inúmeras doenças físicas atribuídas à sua deficiência.

Zinco…tudo bem; só que existe umas coisas mal explicadas, ou nada explicadas com esse argumento: neste caso em questão, a teoria da falta de zinco, só explicaria um caso isolado para um homem que se masturba repetidas vezes e não se alimenta! Mas e os maridos recém-casados? Ficariam muitos doentes por perderem zinco em suas relações com suas esposas, ou o zinco só sai com masturbação? Mas não sai na relação sexual ? E o tal Dr David Horrobin falou que “vários problemas” podem ocorrer, inclusive impotência. Mas não citou nenhuma doença das quais a White falou, e a sra White não citou impotência, em momento algum, ao contrário do Sr David. Vejam a falta de sintonia. E agora, vejam o pior deste fraco argumento:

Como a perda de zinco pelo esperma explica o caso da criança de 2 ANOS, paralítica e epilética, sendo impedida de “se masturbar”, ficou curada ? A criança de 02 anos perdia muito zinco pelo seu “esperma”, em suas “ejaculações”???

E também, como as mulheres “perdem o zinco” se NÃO EJACULAM esperma? A sra White relacionou muitas enfermidades nelas devido a elas se masturbarem.

(E, por favor, senhores adventistas, sem esse argumento de contexto. Que contexto há em dizer que masturbação causa cabeça mal-formada? Epilepsia? Diabetes? Nanismo?)

Poderíamos explanar ainda mais sobre este tema, mas o foco deste artigo não é bem esse. Vejamos agora, outras declarações da “mensageira” White:

Repreendendo os Haskell, disse ela:

“Vi que suas idéias sobre a carne de porco não seriam prejudiciais se vocês as retivessem para si mesmos, mas, em seu julgamento e opinião, os irmãos têm feito desta questão uma prova, e seus atos têm demonstrado o que vocês crêem sobre isso. Se Deus achar por bem que seu povo se abstenha da carne de porco, Ele os convencerá a respeito. Se for dever da igreja abster-se da carne de porco, Deus o revelará a mais do que duas ou três pessoas. Ele ensinará a sua igreja o dever dela”. (testemunhos para a igreja vol. 1 pg 206-207.) ( outubro 1858).

E depois da grande visão em 1863, entre outras, declarou:

“É impossível que seja sã a carne de qualquer criatura vivente, tendo como elemento natural a imundícia, e quando eles se alimentam de tudo quanto é detestável. A carne de porco se compõe do que ele come. Caso os seres humanos comam dessa carne, seu sangue e sua carne serão corrompidos por impurezas transmitidas por ela. O comer porco tem produzido escrófulas, lepra e humores cancerosos. O ingerir carne desse animal está ainda causando o mais intenso sofrimento à humanidade.” How to Live, pág. 58. (conselhos sobre regime alimentar pg 393)

“a distinção entre alimentos limpos e imundos não era um estatuto meramente cerimonial e arbitrário, mas baseava-se em princípios sanitários. À observância desta distinção pode atribuir-se em grande parte a maravilhosa vitalidade que durante milhares de anos tem distinguido o povo judeu”.(patriarcas e profetas pg 562)

Analisando: Ora, os capítulos 11 a 15 de Levíticos (as leis “de saúde”), foram escritos a mais de 3.000 anos. Quer dizer, Deus escreve uma lei de saúde à mais de 3.000 anos atrás, mas séculos depois em 1858, quando os Haskell (e antes, outros) pregavam a abstinência desta carne, Deus ainda não queria, Ele ainda não achava por bem que seu povo largasse tal comida, e só em 1863, revelaria para a sra White mostrar ao mundo que tal alimento, não apenas faz mal, mas causa o mais intenso sofrimento à humanidade!

Perguntas:

- e todas as nações no passado, antes de E.White revelar tal coisa, sofreram sempre então o tal mais intenso sofrimento? Ou ele só veio depois de 1863?

- Deus então, queria que a humanidade sofresse o mais intenso sofrimento, todo esse tempo, pois até 1863, Ele ainda “não achava por bem”, que as pessoas deixassem de comer porco, mesmo tendo escrito a mais de 3.000 anos atrás, as suas leis sanitárias? (que confuso…, Deus é de confusão?)

-Afinal, qual é, (ou foi, no século XIX) esse terrível mais intenso sofrimento da humanidade, causado pela carne de porco?

Quem pesquisa, vê que a tuberculose foi considerada o grande mal do século XIX(e continua matando…) O

A tuberculose causou enorme preocupação pública no século XIX e no início do século XX, como a doença endêmica entre as classes pobres das cidades. Na Inglaterra de 1815, uma entre quatro mortes eram devido à tísica pulmonar; por volta de 1918, uma dentre seis mortes na França ainda era causada pela Tuberculose. Depois de ter ficado claro, por volta de 1880, que a doença era contagiosa, a tuberculose se tornou uma doença de notificação obrigatória na Grã-Bretanha; foram feitas campanhas para que não se escarrasse em locais públicos, e as pessoas com a infecção eram “encorajadas” a irem para sanatórios que chegavam a lembrar prisões. Apesar dos “benefícios” do ar fresco e do trabalho apregoados nos sanatórios, 75% dos que neles entravam morriam num prazo de 5 anos (dados de 1908) (texto da wikipédia enciclopédia).

O nome tuberculose está associado a uma doença do passado… Mas, ao contrário do que possa parecer, a tuberculose não ficou para trás. Muito ao contrário. Hoje perdeu seu romantismo e deixou de ser cantada em versos por literatos tísicos. Só que ainda continua fazendo milhões de vítimas. Todos os anos cerca de 6,8 milhões de pessoas adoecem no mundo e 3 milhões morrem de tuberculose. É a doença infecciosa que mais mata, passando uma rasteira na Aids – que faz 2,6 milhões de vítimas – e na malária – que mata 1 milhão por ano –, que a acompanham bem de perto. O Brasil é o 15º colocado no ranking, encabeçado por China e Índia, dos 22 países que respondem por 80% dos casos de tuberculose do mundo. Estima-se que surjam por aqui 116.000 casos por ano, dos quais apenas 79 000 são notificados ao Ministério da Saúde. Até 2020, a tuberculose vai infectar 200 milhões e matar 35 milhões de pessoas. (revista Superinteressante edição 177 junho 2002)

Claro que outras doenças também mataram muita gente; por exemplo, a peste negra Uma pandemia desta doença no mesmo século matou cerca de 12 milhões de pessoas na china e Índia.(Wikipédia – enciclopédia). Curioso, é que essas e outras doenças, mas principalmente essas de fácil e grande contágio, como a tuberculose, varreram milhares de vidas, trazendo muito sofrimento a humanidade; e não existe nenhum registro de evidência alguma dessas terríveis doenças terem suas origens no consumo da carne de porco, e , ou, causadas devido à masturbação. A tuberculose, pelo que se sabe, teve origem no gado(assim como a varíola), a peste negra é causada através de ratos. Eu gostaria de saber sinceramente, qual foi(ou é), o mais intenso sofrimento da humanidade, causado pelo consumo da carne de porco; (e o contexto é sobre doença).

Concluindo: segundo a Sra White, o grande mal, a grande causa da ruína física e mental da época dela, foi primeiro a masturbação. Depois mudou. O mais intenso sofrimento da humanidade era causado pela carne de porco. E a história nos mostra outra coisa. Afinal, era a masturbação, a carne de porco, ou foi a tuberculose? Essa é para pensar.

Fonte: [O Bispo]

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here

Páginas