Breaking

6.11.10

Modelo de centro unificado de segurança é baseado na experiência de outros países


Daniella Jinkings
Repórter da Agência Brasil
06/11/2010

Brasília – O modelo de centro unificado de segurança pública a ser adotado no Brasil baseia-se em iniciativas implementadas em outros países. Desde o início do ano, representantes do Ministério da Justiça acompanham as experiências de nações como os Estados Unidos, a Inglaterra e África do Sul durante grandes eventos.

De acordo com o secretário executivo do ministério, Rafael Favetti, o modelo brasileiro é único, porém, baseia-se em iniciativas que já deram certo em outros países. “Em especial, modelos que nós vimos dar certo em Joanesburgo, em Londres, em Washington e em Nova York. Estamos reunindo essas informações para criar um modelo brasileiro único e inovador de gestão.”

A comitiva brasileira já visitou centros como o do FBI (Polícia Federal dos Estados Unidos), o da Polícia Nacional do Congresso, em Washington, e o da Polícia Metropolitana de Nova York. A Scottland Yard, da Inglaterra, e as polícias da África do Sul também dividiram suas experiências com o grupo do ministério.

“Fomos à Homeland Security [Departamento de Segurança dos Estados Unidos], lá eles adotaram o conceito de fusion center, que é o centro unificado. Tudo isso nos Estados Unidos é muito novo, veio depois do 11 de Setembro. Tivemos acesso ao National Operation Center. Vimos como funciona e o que se adapta à realidade brasileira.”

Segundo Favetti, os centros estrangeiros, que atuaram em grandes eventos, como a Copa do Mundo da África, realizada este ano, visam a traçar estratégias de segurança pública. “Esses centros serão a otimização e racionalização da gestão em segurança pública. Nós estamos fazendo com quatro anos de antecedência. Estamos muito à frente”.

Edição: Juliana Andrade