1.12.10

205 mortes de gays no Brasil em 2010 (e o ano nem terminou)

Do MIX Brasil 30/11/2010

Falta um mês para 2010 terminar e o GGB lançou o número de assassinatos de homossexuais que rolaram até aqui: 205 (em 2009 foram 198). Como falta um mês, o número será um pouco maior que 205, infelizmente.

O número do GGB não é oficial, mas na falta de um levantamento melhor apurado, usa-se esse. O GGB usa notícias de assassinatos publicados em jornais e sites do Brasil todo para chegar a esse número. Desconsidera, obviamente, os assassinatos comuns e elenca os de motivo torpe, motivados por homofobia. Muitos torcem o nariz para esse levantamento, outros tantos diminuem sua valia por conta de sua metodologia. Pouco importa. A verdade é que queira enxergar ou não, a homofobia deu saltos no Brasil neste ano que passou. Veja a campanha presidencial, veja o discurso de vários pastores nas TV, as discussões nos programas populares, o “exorcismo” de homossexuais nas madrugadas, nos cultos.

Veja a morte do Ivo em São Gonçalo aos 14 anos, a agressão dos três jovens na Paulista em novembro; o tiro gratuito do militar no Arpoador. Veja também que nenhum deste ataques sensibilizou os deputados e senadores contrários ao PLC 122 _que continua estacionado no Senado. Como também não sensibilizou os raivosos pastores, padres e afins que lançam suas labaredas contra o modo de vida gay _pior ainda quando relacionam pedofilia à homossexualidade.

São esses discursos, insisto, que fazem o cidadão comum ter raiva insana dos homossexuais. Acrescido, é claro, do machismo latino que tanto (sobre)vive no Brasil de norte a sul. Os exorcismos de homossexuais é a pior face desse horror. A ligação da homossexualidade com a pedofilia vem logo em seguida. Junto com a fé, apregoada, de que foram os homossexuais responsáveis pela AIDS. A promiscuidade também é pecha gay (tentam eles). E deste balaio todo gruda-se à imagem do homossexual que caminha ali pela Avenida à de um homem-bomba, potencial perigo para a sociedade organizada. Passível, portanto, de extermínio. E essa escória (nós, digo) ainda quer ter o direito de se casar e ter direito a filhos. Perigo real e imediato.

Sem medo de ser dramático: esses pastores todos, padres e demais homens e mulheres que prestam o desserviço de transformar a imagem do homossexual em ser execrável, deveriam responder por todos esses crimes enunciados no começo deste post. Não foram eles que espancaram três na Paulista; nem foram eles que balearam o carioca; nem que mataram o menino Ivo em São Gonçalo, mas eles são, no mínimo, cúmplices de todos esses crimes e de tantos outros.

Escrito por Marcelo Cia às 17:32:37

Share this