10.12.10

Macau: Detida mais de uma centena de mulheres por suspeitas de prostituição

Do LUSA/PT 10/12/2010

Macau, China, 10 dez (Lusa) – A polícia de Macau deteve na quinta-feira mais de uma centena de mulheres suspeitas de se prostituírem no «resort»-casino The Venetian, na primeira grande rusga realizada desde a abertura daquela unidade hoteleira, em 2007.

Um total de 115 mulheres, entre os 15 e os 30 anos, suspeitas de se prostituírem, e 17 homens suspeitos de lenocínio, todos do continente chinês, foram detidos na madrugada de quinta-feira numa rusga.

A operação policial coincidiu com uma deslocação à região do magnata do jogo norte-americano, Sheldon Adelson, presidente da Las Vegas Sands.

De acordo com a Polícia Judiciária de Macau, esta foi a primeira grande operação antiprostituição realizada desde a abertura do «resort», em 2007, que resultou de uma investigação de três meses e envolveu 130 agentes, tratando-se de um caso que envolve uma rede de tráfico humano que opera entre a China continental e Macau.

A rusga, realizada entre as 00:00 (16:00 em Lisboa) e as 06:00 locais (22:00 em Lisboa) de quinta-feira, envolveu 70 agentes fardados e à paisana que realizaram uma vistoria ao maior casino do mundo operado pela Sands China, subsidiária da norte-americana Las Vegas Sands, com uma subconcessão de jogo em Macau.

Uma porta-voz da Sands China sublinhou que o Venetian tem uma “política que proíbe a prostituição” no «resort» e que a deslocação de Adelson a Macau deveu-se a uma “reunião comum do conselho de administração da empresa e em nada está relacionada com a rusga policial”.

De acordo com a polícia, as mulheres detidas são originárias de províncias do continente chinês como Hubei, Henan e Heilongjiang, tendo entrado em Macau com documentos falsos e auferiam entre 3000 e 5000 euros mensais por se prostituírem no «resort»-casino.

Estas mulheres tinham alegadamente de pagar cerca de 100 euros por dia aos indivíduos acusados de lenocínio, que as registavam como hóspedes do hotel.

Das mulheres detidas, 15 apresentaram-se hoje a tribunal sendo acusadas de prostituição e posse de documentos falsos, bem como 24 pessoas, alegadamente ligadas a tríades, acusadas de lenocínio e tráfico humano. Cerca de 42 mulheres serão reenviadas em breve para o continente chinês, disse a polícia.

Tal como em Hong Kong, a prostituição não é ilegal em Macau.

A Lei da Criminalidade Organizada, que data de 1997, define no artigo 35.º que “quem, em local público ou de acesso público, aliciar ou fizer proposta para a prática de atos sexuais com o intuito de obter remuneração pecuniária ou outro proveito económico, é punido com a multa de 5000 patacas” (470 euros). No caso de se tratarem de indivíduos não residentes, a pena aplicada é a expulsão do território.

PNE.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Lusa/fim

Share this