Travesti é morto no Centro de Jaraguá

Crime ocorreu na noite de terça-feira. Polícia não sabe quem fez o disparo

Crime ocorreu na noite de terça-feira. Polícia não sabe quem fez o disparoO sonho de Márcio Pereira, 30 anos, de viajar para a Itália no fim deste ano foi interrompido na noite de terça-feira. Por volta das 22 horas, o corpo dele ficou caído na calçada da rua Tufie Mahfud, perto do Ginásio Arthur Muller, no Centro de Jaraguá do Sul. Márcio trabalhava como profissional do sexo há 15 anos e entre os colegas e as pessoas que pagavam pelos programas era conhecido como Márcia.

Naquela noite, após uma discussão dentro de um Gol prata, ele levou um tiro na nuca. O corpo foi jogado para fora do carro e o motorista deixou o local em alta velocidade. A placa do veículo não tinha sido identificada pela polícia até a tarde de ontem. Assustada, uma colega da vítima, de 26 anos, que trabalhava no local na hora do crime, conta que após ouvir o barulho do disparo e ver Márcio no chão, abordou uma viatura da Polícia Civil que fazia rondas no local.

O Corpo de Bombeiros foi chamado e a vítima foi levada para o Hospital São José ainda com vida. Márcio chegou a dar entrada no pronto-socorro mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Jaraguá. Muito abalada, a irmã da vítima conta que Márcio é de Itajaí, mas morava há 15 anos na cidade.

Ontem, ela aguardava a liberação do IML para levar o corpo para ser enterrado na sua cidade natal. “Ele era uma pessoa muito alegre e divertida. Sonhava em ter uma vida melhor na Itália, ele tinha planos de ir para lá no fim do ano”, conta.

Uma mulher que mora perto do local onde o homicídio ocorreu conta que não ouviu o som do disparo da arma de fogo pois sempre há barulho no local. “Como ali é um ponto onde vários travestis se encontram, sempre tem barulho, gritos, os carros passam acelerando. Só notamos que tinha algo diferente quando chegaram as viaturas”, diz.

Segundo informações do delegado Adriano Spalaor, ainda não há suspeitos para o crime. “Instauramos o inquérito e vamos investigar.” O delegado afirma que as câmaras de monitoramento, instaladas na localidade, ajudarão na identificação da placa do veículo e para identificar quem é o autor do crime. Spalaor pede que quem tiver informações sobre quem fez o disparo, que denuncie pelo 197.
Tecnologia do Blogger.