26.9.14

Candidato gay recebe pedrada durante panfletagem no Amapá

Waldir Pires (PSOL) no momento em que levou uma pedrada, durante panfletagem (Foto: Divulgação/Reprodução)
A defesa dos direitos LGBT é pauta de muitas candidaturas pelo Brasil e não é diferente para Waldir Pires Bittencourt, candidato a deputado federal pelo PSOL do Amapá. Nascido em Colatina, Espírito Santo, a causa gay é um tema muito caro ao político, que é assumidamente homossexual. No entanto, um episódio triste marcou sua campanha na última quarta-feira (24). Sua panfletagem, que ocorria pelas ruas de Macapá, foi interrompida quando Waldir foi agredido com uma pedrada.

Waldir afirmou, em entrevista a Vice, que estava recebendo ameaças telefônicas. A pedra foi lançada, segundo o candidato, de um carro em movimento e o acertou na cabeça. Para ele, foi um ato homofóbico. "Eu não sou a primeira vítima, não. A violência contra o gênero LGBT no nosso estado é uma rotina. Não fui o primeiro nem serei o último enquanto o Estado não encarar essa pauta como prioritária", afirmou.

O psolista fala sobre a importância da defesa da bandeira LGBT. "Eu sou o único candidato defendendo a pauta LGBT num estado desigual e periférico, no qual o incentivo ao ódio é muito grande contra homossexuais, negros e minorias. É muito complicado ter a coragem de trabalhar isso", declara.

O candidato fez exame de corpo de delito no IML da capital Amapaense e promete seguir na campanha. "Continuaremos na rua, mobilizados. Eu não vou me intimidar. Não tenho tempo de ter medo. Tenho de ir na marra, enfrentar tudo o que vem pra cima e pronto", disse. 

Pelo facebook, Waldir postou uma mensagem de desabafo, contando o episódio. Terminou dizendo que é "militante de muitas causas, e a principal delas é a luta por outra sociedade, onde a humanidade conviva em paz e sem exploração e opressão de nenhum tipo".

Waldir Pires Bittencourt (PSOL), candidato a deputado federal no Amapá (Foto: Divulgação/Facebook)
Do Yahoo Notícias

Share this

0 Comment to "Candidato gay recebe pedrada durante panfletagem no Amapá"

Postar um comentário